quarta-feira, 9 de março de 2011

Pânico na Neve

Título Original: Frozen
Gênero: Suspense/Drama
Ano: 2010


Três amigos passam o final de semana em uma estação de esqui e, na noite de domingo, sobem no teleférico quando ninguém mais usufruia do mesmo. O operador do teleférico transfere a responsabilidade operacional a um colega que não sabia que este grupo ainda estava lá em cima. Este operador, por sua vez, desliga a energia do teleférico e as luzes da estação, deixando-os lá em cima, no meio do caminho.

Após se darem conta de não tratar-se de uma brincadeira, os três amigos se vêem congelando aos poucos e sem opções de salvamento. Por ser um final de domingo, a estação entraria em atividade somente no próximo final de semana, o que impossibilitaria cogitar a hipótese de esperar até o dia seguinte.

Na tentativa frustrada de saltar do teleférico, um dos amigos quebra a perna com fratura exposta, o que o impossibilita de buscar por socorro. A partir daí entram em cena lobos selvagens, hipotermia, queimaduras pelo frio, desidratação e tudo o mais que o cenário propicia.

O filme roda praticamente inteiro no banco do teleférico, mas não deixa a desejar no propósito: angustiar o telespectador a ponto de fazê-lo indagar-se quais seriam as opções que o mesmo julgaria se tratar da solução.

E você, o que faria nesta situação???

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Suspense: 9
- Drama: 9
- Tensão: 10
- Trama: 7

A situação em si já impõe a dramaticidade necessária para os propósitos do filme. Recomendo à todos que gostam de suspense.

Minha nota final para este filme é 9,3.


terça-feira, 8 de março de 2011

Santuário

INSPIRADO EM FATOS REAIS
Título Original: Sanctum
Gênero: Ação/Suspense/Aventura
Ano: 2011
Produção Executiva: James Cameron


O filme conta a história da experiência vivida por um dos roteiristas e trata da exploração de uma imensa estrutura rochosa com quilômetros de profundidade e, dentro dela, inúmeras cavernas subaquáticas.

Surpreendidos por uma tempestade que se transforma em ciclone, enquanto a caverna inunda rapidamente, os exploradores lutam para salvar suas vidas e encontrar uma saída alternativa que os leve a salvo para a superfície.

Na trama, pai e filho com o relacionamento conturbado entram em conflito a todo instante, principalmente quando mortes começam a ocorrer. O filho joga a culpa no pai (que é o explorador mais experiente) por estarem naquela situação, face à morte iminente.

Em meio à mergulhos de tirar o fôlego e passagens submersas estreitas, os sobreviventes se deparam com obstáculos perigosos constantemente, o que dá um gás à aventura e tensão do filme.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 5
- Ação: 6
- Aventura: 8
- Efeitos visuais: 5
- Suspense: 6
- Tensão: 8
- Trama: 6

Não posso deixar de comentar que esperava mais, pois o nome "James Cameron" vende, principalmente pelos sucessos de "Titanic" e "Avatar". O filme todo é muito escuro (até por que se passa dentro de uma caverna), inibindo a utilização de recursos e efeitos visuais, o que deixaria o filme mais interessante.

Não espere assistir um filme à altura de Cameron, pois sua assinatura na obra é visivelmente discreta.

Minha nota final para este filme é 7,0.


O Discurso do Rei

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL
Título Original: The King´s Speech
Gênero: Drama
Ano: 2010
Atores de Destaque: Colin Firth, Geoffrey Rush

Vencedor das principais categorias do Oscar 2011.


O filme (de época) conta a história de uma parte da vida do Rei George VI (pai da atual rainha da Inglaterra, Elisabeth II), gago desde a infância. A trama é desenvolvida algum tempo antes da Segunda Guerra Mundial, período em que George assume a coroa a contragosto, após seu irmão ter abdicado do trono inglês por conta de uma paixão proibida.

Após várias tentativas de curar sua gagueira, e estando George a um passo de desistir, sua mulher procura um profissional na área, Lionel (Geofrey Rush) ,o qual tem métodos um tanto quanto "engraçados" para tratar o problema (alguns exemplos no Trailer acima).

O filme todo é baseado na gagueria do futuro rei, o que deixaria o mesmo extremamente entediante, não fosse pelos momentos em que situações suavemente cômicas dão uma certa quebra no ritmo do tédio.

O ponto do filme é o discurso final, em rádio, ao vivo, na qual o rei se dirige à todos para anunciar o início da Segunda Guerra Mundial. Juntamente com isto, a amizade criada com seu "doutor", a qual perdura até o final.

Jamais tiraria os créditos adquiridos por Colin Firth nos quesitos da qualidade de melhor ator, pois é ele quem dá sentido ao filme (pelo menos ao que a obra se propõe). O restante, com exceção do figurino, que remete às épocas iniciais de 1900, e da parte cômica imposta pela gagueira e seu tratamento, além de não merecer nem mesmo nomeação ao Oscar, torna o filme extremamente chato.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 6
- Enredo: 7

Recomendo este filme para quem quer ter uma aulinha de história inglesa e dar algumas risadas com um humor "light". De resto, não vejo muito mais a recomendar.

Como comentário final, vale informar: o Oscar foi formulado para a nata artística e para os críticos. Portanto, não há do que reclamar: Titanic não foi vencedor por que agradou a milhões de pessoas, mas por que agradou aos críticos nos quesitos de relevância.

Minha nota final para este filme é 6,5.


72 Horas

Título Original: The Next Three Days
Gênero: Drama/Ação/Suspense/Policial
Ano: 2010
Atores de Destaque: Russell Crowe, Elisabeth Banks


Após ser acusada de homicídio, Lara (Elisabeth Banks) é condenada ao encarceramento e, após 3 anos de luta na justiça para provar que sua mulher era inocente, John (Russel Crowe), instruído por seu advogado, é obrigado a aceitar a realidade: Lara jamais seria inocentada, pois as provas do crime eram contundentes.

Partindo deste princícpio, John decide bolar um plano para resgatá-la da cadeia e vai à procura de um ex-condenado que escapou 7 vezes de diversas penitenciárias, visando agregar informações que possam levá-lo ao sucesso da operação.

Durante 3 meses em busca de passaportes falsificados que possam tirá-los do país após a fuga, John se vê à mercê de traficantes, contrabandistas e drogados. Além de não possuir muito dinheiro, acaba sendo roubado em uma destas incursões aos subúrbios.

Ainda sem autorização avaliativa de um empréstimo solicitado, John é informado que sua mulher seria transferida do presídio dentro de 3 dias. John começa a correr contra o tempo, pois 3 dias não seriam o suficientes para concluir o plano de resgate, o qual Lara desconhece até o mesmo estar em andamento.

Neste ponto, John se vê na necessidade de cometer um assalto, pois precisaria de dinheiro para a fuga. Se envolve em um homícidio triplo, porém consegue a grana.

Seria inaceitável que eu citasse aqui a estratégia de resgate e fuga sacramentada por John e o desfecho de sua execução, mas vale ressaltar que até o momento em que o plano é colocado em prática, você consegue perceber a dificuldade que uma pessoa de classe média teria para executar façanhas viáveis somente para a nata do crime organizado, juntamente com os contatos "fantasmas" do qual dispõem.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 10
- Ação: 7
- Suspense: 7
- Trama: 10
- Tensão: 9

A direção do filme é assinada por Paul Haggis e, neste ponto, não deixou a desejar em nenhum aspecto da trama. Sabe aquele lance do filme que alguém diz uma coisa no início e você fica achando que essa coisa vai acontecer mais pro meio ou mais pro fim e nunca acontece? Talvez até saiba do que estou falando, mas geralmente a gente não dá bola, pois acaba esquecendo no desenrolar que aquilo aconteceu e passa desapercebido.

O fato é que Paul conseguiu manter unidas as peças do quebra-cabeça e, fielmente, traduziu as emoções finais do filme, remetendo às cenas iniciais (sem flash-backs). Trata-se de um filme de dar inveja a alguns outros relativos a tramas policiais.

Um ponto que pareceu-me desatinado em relação à compostura do gênero foi a estranha mobilização preparada pelo departamento de polícia: deu a impressão que estavam atrás do Bin Laden...

Minha nota final para este filme é 9,5.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Além da Vida

Título Original: Hereafter
Gênero: Drama
Ano: 2010
Ator de Destaque: Matt Damon
Direção: Clint Eastwood


O filme inicia com a reprodução da tsunami que atingiu a Indonésia em 2004 e o resultado de sua devastação, com efeitos visuais incríveis e realismo surpreendente. E este é o ponto alto do filme.

Na dramatização, três pessoas que tem experiências com a morte, de formas diferentes, se interligam ao longo da trama. George (Matt Damon) é um operário que está prestes a ser demitido e tem o dom de ver e se comunicar com o além. Marie é uma jornalista que sobrevive aos horrorres da tsunami e passa por uma EQM (Experiência de Quase Morte). Marcus é um garoto que perde o irmão gêmeo em um atropelamento.

O filme, ao contrário do que se imagina, não tem seu núcleo focado na mediunidade de George ou nos assuntos polêmicos que rodeiam a espiritualidade. O enredo enfatiza mais o drama das personagens na seqüência de suas vidas após os traumas sofridos e suas buscas por respostas.

É correto afirmar que o foco da obra está na construção das personagens, que são muito bem detalhadas, o que faz com que o enredo em si perca completamente a razão do desfecho conclusivo do filme.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 3
- Enredo: 3
- Efeitos: 10 (na única cena que os têm - a da tsunami)

O filme tem 2 horas de duração, é extremamente cansativo e você sempre fica esperando que algo interessante vá acontecer. Que nada... Inenarravelmente chato. Desejo mais sorte para Clint nas próximas produções, ou é melhor voltar a atuar, mesmo estando com 80 anos...

Aconselho evitar a perda de tempo.

Minha nota final para este filme é 3,0.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Irreversível

Título Original: Irreversible
Gênero: Thriller/Drama
Ano: 2002


Punk, underground, chocante e tenso são palavras que definem bem este filme francês que promete chocar pelas cenas de violência explícita que se tornaram a marca registrada da obra.

Os amigos Marcus e Pierre vão atrás do estuprador da namorada de Marcus (que é antiga namorada de Pierre). O resumo mais simples do filme é esse: a busca desenfreada por vingança pelo estupro de Alex (pronuncia-se Álex), a namorada.

Seria um filme completamente sem graça e sem inteligência de desenvoltura, não fosse pela criativa estratégia adotada na confecção das cenas, além da sonoplastia que se adaptou perfeitamente à tensão de cada uma delas. O filme, literalmente, roda de trás para frente. Ou seja, ao começar a assistir o filme, você já sabe o final. A câmera sempre "viajando" no início do filme, inclina a interpretação da tensão para o lado sombrio da noite, como que se o telespectador estivesse alucinado.

Digamos que o choque da violência proposta pelos autores você já adquire nos primeiros 20 minutos de filme, quando Pierre esfacela energicamente o rosto do estuprador com um extintor de incêndio em uma boate gay lotada. Posteriormente, uma cena de quase 10 minutos relata o estupro que originou o final (ou início?) do filme.

Atuações excelentes, sonoplastia de dar zonzeira, jogadas de câmera interessantes e dramatização tensa até o pós-estupro. O ponto fraco fica por conta da última meia hora que, basicamente, trata-se da introdução. Logo, o último terço do filme denigre a proposta original: chocar. Mas reparem: me refiro ao último terço, pois o restante faz por merecer.

Como observação interessante, após ter assistido todo o filme (e haja paciência para a última meia hora), você começa a montá-lo de trás pra frente. Acredito que, originalmente, o filme tenha sido pensado "e filmado" de frente pra trás e, posteriormente, surgiu a ideia de fazer essa jogada de remontá-lo de trás para frente.

Com base nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 8
- Suspense: 9
- Tensão: 10

Ponto 1: tenha estômago forte para a cena do extintor; ponto 2: tenha estômago forte para a cena de estupro; ponto 3: tenha paciência para assitir até o final.

Minha nota final para este filme é 9,2.


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

127 Horas

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL
Título Original: 127 Hours
Gênero: Drama
Ano: 2010
Ator de Destaque: James Franco

Do diretor vencedor do Oscar por "Quem Quer Ser Um Milionário?"


Aron Ralston (interpretado por James Franco) é um jovem aventureiro dono do próprio nariz que resolve gastar um pouco de energia em um cânion isolado de Utah. Sem avisar ninguém sobre seu destino, parte em uma sexta-feira em busca de adrenalina no final de semana, somente com uma bicicleta e mochila nas costas.

Ao se dar mal em uma fenda, uma enorme rocha cai sobre ele, prendendo seu braço. A partir daí, começa a luta por sobrevivência, tendo à disposição somente meio cantil de água, algumas cordas, um canivete sem fio e uma câmera.

À medida que Aron percebe que o socorro não virá, começa a registrar a situação em sua câmera, com direito à mensagens de despedida aos pais e familiares.

Após o 5º dia, sem água ou qualquer outro alimento que seja (inclusive tentou beber da própria urina) e sem mais nenhuma expectativa de sobrevivência, em meio a alucinações e devaneios, Aron decide que precisa fazer a única coisa possível de lhe dar uma chance de sobrevivência: arrancar o próprio braço.

Diga-se de passagem que esta parte causou grande impacto nos cinemas dos EUA, considerando que muitas pessoas desmaiaram ou passaram mal perante às cenas de autodilaceração (menos pessoal, bem menos...).

Com base nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 10
- Enredo: 9
- Suspense: 8

Como observação apropriada e visando não assustar o público com a única cena em que dá nó no estômago, filmes "a la Jogos Mortais" impactam de formas bem mais agressivas que a dramatizada, porém, há de se convir que a situação em questão ocorreu de fato, o que deve ser levando em conta neste caso.

A dramatização envolve tanto o espectador que, mesmo antecipando os últimos acontecimentos, é impossível deixar de se emocionar com o resultado final.

Observação: a direção de produção esqueceu que em 5 dias a barba de Aron devia ter crescido, porém está sempre bem feitinha ao longo de todo o filme.

Minha nota final para este filme é 9,0.


Triângulo do Medo

Título Original: Triangle
Gênero: Suspense/Terror
Ano: 2010
Atriz de Destaque: Melissa George


Um grupo de amigos sai a velejar em mar aberto (sei, sei... a história já é manjada). Durante a viagem, uma tempestade faz com que seu barco naufrague (nenhuma novidade até aqui, certo?). Enquanto estão à deriva, um enorme navio cruza por eles (aí está a novidade!) e, sem que nenhum tripulante surja para dar as boas vindas, eles sobem a fim de salvar suas vidas.

Após investigar alguns ambientes, Jess (a protagonista) começa a ter a estranha sensação que já esteve naqueles lugares antes, pois todos os ambientes lhe são familiares. Misteriosamente, seus amigos vão sumindo, aparentando ter um assassino à bordo. De repente, Jess se depara com ela mesma, empunhando uma arma.

Nesse ponto começa uma busca incessante (literalmente) por socorro, visando salvar seus amigos e a si mesma (de si mesma, inclusive). A cada nova cena, uma nova surpresa. A cada novo corpo encontrado, um novo enigma a ser desvendado. Ao final, só uma verdade, somente um destino e a realidade incompreensível e interminável.

Apesar de conter o gênero "terror" no enunciado do enredo, o mesmo só o é devido à algumas mortes que, mesmo em filmes de suspense mais "comuns", ocorrem também, podendo-se descartar tranquilamente o terror, e elevando a tensão causada pelo suspense em si.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Suspense: 10
- Terror: 6
- Trama: 10
- Tensão: 10
 
Este filme passa muito rápido, pois a trama é excepcional e as surpresas ao longo da jornada intrigam cada vez mais o expectador. Sem contar o final: surpreendente a forma como o autor juntou os pontos, do início ao fim. Ou do fim ao início... Ou do meio ao início, daí ao fim, enfim... Vale bis!

Minha nota final para este filme é 9,6.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O Vidente

Título Original: Next
Gênero: Ação/Ficção
Ano: 2007
Atores de Destaque: Nicolas Cage, Juliane Moore, Jessica Biel


Para quem não assistiu ontem (14/02/2011) em TV aberta (impedido de citar nomes), este é um filme que te prende do início ao fim. Digo de camarote, pois só deixei a TV ligada enquanto redigia posts e adivinha? Assisti ele todo de novo. Pela quarta vez, acredito.

Cris (Nicolas Cage) tem o dom de prever seu futuro, mas só 2 minutos além do momento atual (imagine você com esse poder, hein?). Cris se utiliza deste dom para ganhar a vida, fazendo bicos em Las Vegas e assim vai levando a vida, sem ser notado. A única questão é que quando você vê o futuro, ele muda...

Quando uma ameaça terrorista recai sobre Los Angeles, a agente federal Callie (Juliane Moore) que desconfia dos poderes de Cris, resolve capturá-lo para auxiliá-los na localização da bomba. Cris se apaixona pela gatíssima Jessica Biel (qualquer um se apaixona né, fala sério!) e acaba por envolvê-la na trama que nunca quis participar. E, a partir daí, sua missão é tirá-la desta com vida.

Muita ação, efeitos impressionantes, elenco extraordinário, cenários realistas e trama impecável... Acho que não preciso dizer mais, não é? (mas, só pra não perder o costume, uma salva de palmas novamente para Jessica Biel!!! :)

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
Ação: 10
Trama: 10
Efeitos: 8
Aventura: 9
Tensão: 6

Para fins de indicação deste filme, vou deixar a seguinte frase: "Imagine o que vai acontecer com você daqui a 2 minutos! Imagine que EXATAMENTE AGORA você pode mudar o que viu!"

Minha nota final para este filme é: 9,3.

Além da Vida

Título Original: After Life
Gênero: Suspense
Ano: 2009
Atores de Destaque: Liam Neeson, Cristina Ricci, Justing Long


Anna (Cristina Ricci) é uma garota insegura em seu relacionamento com Paul (Justing Long). Quando seria pedida em casamento, interpreta de forma errada e foge do restaurante dirigindo descompassada rumo a um acidente que a leva direto para a mesa de uma casa funerária.

Acordando, paralisada, surge Eliot (Liam Neeson) informando se tratar do agente funerário que está preparando seu corpo para o enterro, já que ela faleceu no acidente.

Incrédula com o fato, Anna tenta sair de todas as formas da casa funerária. Paul também não crê que a morte de Anna seja efetiva, e solicita investigação.

Somente um aluno da escola em que Anna lecionava parece ser capaz de desvendar o mistério, mas nem ele mesmo acredita que o que esteja vendo seja real. E Eliot faz a cabeça do garoto e de quem o cerca.

Numa tentativa desenfreada de salvar Anna das mãos de Eliot, Paul também se envolve em um acidente, mas consegue chegar até a cova de Anna e tirá-la de lá.

As conclusões desta história, você deverá tirar por si mesmo(a), pois é ambivalente.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Suspense: 8
- Trama: 9
- Tensão: 8

Um dos pontos fortes deste filme, além do enredo, é o final, pois o mesmo deixa dúvidas com relação aos fatos ocorridos no desenvolvimento e com relação ao final em si. Tudo pode ser como também pode não ser. E isso deixa o filme todo interessante por demais...

Aconselho a todos e aguardo opiniões... ;)

Minha nota final para este filme é 8,9.


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O Último Exorcismo

Título Original: The Last Exorcism
Gênero: Suspense/Terror
Ano: 2010


Também seguindo a linha "camera on hand", este filme promete um ótimo suspense e terrorismo audiovisual em algumas cenas de gelar os ossos.

O reverendo Cotton é um descrente em relação à autenticidade dos exorcismos, até por que ele mesmo já praticou dezenas deles e, segundo afirma, são falsos. Ele apenas planta na pessoa a "ideia" de que tirou um demônio dela (alguns truques visuais são utilizados para dramatizar e dar um efeito impactante no falso exorcismo). Cotton resolve abrir os segredos à uma equipe que prepara um documentário sobre o assunto, e resolve acompanhá-lo em uma sessão.

Ao encontrar Nell, cujo pai acredita estar possuída, as coisas mudam de figura. Com ela, o falso exorcismo somente dá uma sensação igualmente falsa de que cumpriu sua tarefa.

Nesse ponto já rolou uns 45 minutos só de lero-lero. Aí o filme começa de verdade. A partir deste ponto você não sabe mais dizer se Nell realmente está possuída, se já esteve alguma vez, ou se é tudo armação dela.

À medida que o filme vai se encaminhando para o final, a fim de justificar algumas cenas e situações, o roteirista simplesmente se perde na seriedade que até então estava sendo imposta à dramatização. E aí cai a casa, né...

Com base nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
Suspense: 7
Terror: 8
Trama: 7
Efeitos: 4

Aconselho só pra quem gosta do tema, adiantando que uma cena específica do filme dá um "cagaço" de verdade, ou seja, esteja com os nervos em ordem!

Minha nota final para este filme é 7,8.


domingo, 13 de fevereiro de 2011

Perigo em Alto Mar

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL
Título Original: The Reef
Gênero: Suspense
Ano: 2010


Cinco amigos embarcam em direção aos recifes em busca de aventura. Na volta, seu barco naufraga e eles ficam à deriva em mar aberto. Sabendo que o local em que se encontram não está na rota de aviões ou outras embarcações, decidem nadar até a ilha mais próxima para tentar sobreviver.

Durante o percurso, perigos iminentes das profundezas do oceano estão cercando os jovens que, à cada minuto, se veem à mercê de seu próprio destino, principalmente quando um enorme tubarão branco começa a rodeá-los.

Na medida do possível, os jovens vão tomando rumo em direção à terra firme, sempre em grupo, até que o inimigo mortal começa a dar indícios de que não vai deixá-los em paz. Na primeira divisão do grupo, o tubarão começa a atacar, um à um.

Fora a tensão imposta pela situação e a história (já manjada, por sinal), o filme não agrada pelas interpretações dos personagens que, em determinado momento estão completamente histéricos e, 30 segundos depois (senão menos) aparentam ter completo, total e absoluto controle sobre a situação e, pásmem, tentam acalmar os demais... Ridículo, no mínimo.

Com base nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Suspense: 7
- Tensão: 7
- Trama: 6

Para quem já assistir "Mar Aberto" (1 e/ou 2), também baseado em histórias reais, não aconselho "Perigo em Alto Mar" nem um pouco, pois deixa muito a desejar. Para quem ainda não assistiu, sugiro dar uma verificada nesse primeiro e depois você pode fazer suas comparações.

Minha nota final para este filme é 6,5.

As Viagens de Gulliver

Título Original: Gulliver´s Travels
Gênero: Aventura/Comédia/Infantil
Ano: 2011
Atores de Destaque: Jack Black


Lemuel Gulliver (Jack Black) trabalha no setor de correspondências de um jornal em Nova York há 10 anos e sonha em ser um grande escritor, porém não tem talento nato para o ofício. Logo no início do filme seu colega recém chegado é promovido à chefia do setor (coisa que ele nunca conseguiu em 10 anos).

Tentando impressionar uma colega de trabalho pela qual é apaixonado, se propõe à navegar em direção ao Triângulo das Bermudas a fim de descobrir seu segredo e redigir uma história sensacional sobre o assunto.

Após ser atingido por um vórtice maritmo, acorda na ilha de Lilliput, onde todos os habitantes são menores que seu polegar e o fazem de prisioneiro, alegando tratar-se de uma arma aquitetada pelos inimigos: os blefuscianos (outro povo de gente minúscula).
 
Após salvar o rei e a princesa de um ataque dos blefuscianos, Gulliver é considerado herói e ganha o carisma de todos os lilliputianos e, em contrapartida, a ira e desconfiança de Edward, general de Lilliput e prometido da princesa.
 
Após Edward tornar-se vice-general ao ser obrigado pelo rei a entregar o cargo à Gulliver, une-se ao inimigo com intenções de bolar um plano para enviar Gulliver de volta ao oceano e retomar seu cargo e ter o controle de Lilliput em suas mãos novamente.
 
Gostaria de lembrar que essa deva ser a segunda refilmagem (3ª versão) de "As Viagens de Gulliver". A anterior era protagonizada por Ted Danson, e possuía efeitos muito bons também. Quem estiver a fim de verificar o trailer desta versão, que é de 1996, segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=GOFn0eCFV8M&feature=related
 
Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Aventura: 10
- Comédia: 7
- Efeitos: 10
- Trama: 7
 
Por tratar-se de um filme que agrada mais o público infantil, recomendo-o à crianças de todas as idades e à adultos que estejam a fim de se distrair e aliviar a tensão, além de algumas boas risadas.
 
Minha nota final para este filme é 8,8.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Sempre ao Seu Lado (Hachiko)

BASEADO EM UMA HISTÓRIA REAL
Título Original: Hachiko: A Dog's Story
Gênero: Drama
Ano: 2009
Atores de Destaque: Richard Gere


Parker (Richard Gere) encontra um filhote de Akita (posteriormente chamado de Hachi)perdido em uma estação de trem e o leva para casa. A partir daí, uma relação pai e filho se cria, mesmo com o repúdio da família. Aos poucos, Hachi vai ganhando a estima da família e ganha seu lugar no lar.

Com o tempo, Hachi começa a seguir Parker até o trem que pega para o trabalho. E, pouco tempo depois, como que se soubesse a hora, começa a esperá-lo na estação, diariamente. Até o dia em que Parker tem um infarte no trabalho e não volta mais.

Mesmo assim, após horas esperando, Hachi acaba voltando para casa, vencido pela fome. E todos os dias ele volta até a estação, aguardando a chegada de Parker, ansioso.

Os populares, que acompanharam a história de Hachi e Parker, se comovem e vão "adotando-o". Ele só tinha uma pessoa em quem confiava e a quem adorava. E essa pessoa parecia tê-lo abandonado.

A história é comovente e aconteceu de forma semelhante à dramatizada. É bem verdade que os últimos minutos de filme batem na mesma tecla em excesso, mas a dramatização ficou excelente.

Para quem quiser saber mais sobre a história real, segue o link: http://cienciasnd.blogspot.com/2010/04/hachiko-sempre-ao-seu-ladoa-historia.html

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Drama: 9
- Enredo: 10

Recomendo este filme à todos de coração mole. E, como observação, vale à pena citar que é bom não assistir esse filme com muitas pessoas junto, evitando o constrangimento enquanto você estiver chorando...

Minha nota final para o filme é 9,7.


Os Vampiros Que Se Mordam

Título Original: Vampires Suck
Gênero: Comédia/Sátira
Ano: 2010


Satirizando a mundialmente famosa série "Crepúsculo", esta comédia promete remeter às cenas originais nos moldes cômicos a que se propõe: humor infantil e desdenhoso. Ilustrações de artistas famosos e opiniões sobre os mesmos de acordo com a visão popular (cite-se Lady Gaga e Black Eye Peas) dão um toque especial em algumas cenas.

Como todo filme de comédia que satiriza outro(s), fededignamente, os personagens possuem características que, em alguns casos, de forma extravagante, remetem à seu personagem no filme original.

Destaque para a atuação da personagem que imita Bella que, de forma acentuada, imita os trejeitos da original.

Com base nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Comédia: 6
- Sátira: 5
- Efeitos: 6

Se você não assistiu ainda os filmes da série, não recomendo. Vai parecer mais lixo além do que parece.

Minha nota final para este filme é 5,5.

Garota Infernal

Título Original: Jennifer´s Body
Gênero: Terror
Ano: 2009
Atrizes de Destaque: Megan Fox, Amanda Seyfried


Jennifer (Megan Fox) é uma líder de torcida que tem como melhor amiga Needy (Amanda), a garota mais esquisita do colégio. Após um incêndio em uma boate na qual as duas estavam, Jennifer é sequestrada pela banda e oferecida em sacrifício perante um pacto com o diabo feito pela banda para ganhar repercussão em seu CD e atingir o sucesso absoluto.

O ritual não dá certo e Jennifer é possuída e se torna um demônio com sede de sangue, o qual lhe dá vigor e beleza em sua forma física, requisito básico para atração de suas vítimas.

A trama se desenvolve em torno das tentativas de Needy desvendar o que há de errado com Jennifer, que fica estranha após o incidente da boate. Ao descobrir a verdade, Needy corre contra o tempo para salvar a vida de seu namorado Chip, que pode ser o próximo alvo de Jennifer.

Destaque para a beleza e sensualidade ímpar de Megan Fox e ótima atuação de Amanda Seyfried.

Nos quesitos de relevância para o gênero, minha avaliação fica assim:
- Terror: 6
- Suspense: 5
- Trama: 4
- Efeitos: 4
- Tensão: 4

Achei o filme péssimo, com exceção da linda Megan. Poderiam aproveitá-la melhor...

Minha nota final para este filme é 4,5.